Trem de Brasília a Valparaíso deve começar testes em maio

GDF vai entrar com investimento de R$ 400 mil por mês para viabilizar operação experimental por seis meses

 

 

O Governo do Distrito Federal vai tirar R$ 2,4 milhões dos cofres para viabilizar seis meses de testes do trem que levará passageiros de Brasília até Valparaíso (GO), na Região Metropolitana. A decisão foi tomada após o Governo Federal recuar no repasse integral dos custos porque queria mais testes. A previsão é que em 60 dias a operação experimental e, em seis meses, o sistema seja efetivamente implementado.

A operacionalização do transporte promete desafogar o caos diário das estimadas 250 mil pessoas que trafegam pela BR-040. O custo total do projeto de testes é de R$ 3,4 milhões e deveria ser integralmente arcado pelo Palácio do Planalto. Agora, o Ministério de Desenvolvimento Regional destinará apenas R$ 1 milhão para a parte técnica e o restante será pago pelo Palácio do Buriti em parcelas de R$ 400 mil.

“Existia um receio muito grande do Ministério. Conseguimos demover o ministro da ideia de fazer os estudos (de valores) primeiro e já colocar em implantação. Vamos passar para a parte operacional com os convênios que precisam ser feitos para que possamos colocar em operação em curto prazo”, explicou o governador Ibaneis Rocha (MDB) após reunião com o ministro Gustavo Canuto. “É um sonho da população que sofre muito com engarrafamentos todos os dias”, valorizou.

O GDF vai entrar com parte do investimento para subsidiar o período de testes. “Como não dispostos a bancar o valor total da operação experimental, estamos entrando com parte dos recursos do DF para ajudar a subsidiar esse período”, esclareceu o emedebista. Para isso, é preciso firmar convênios com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), órgão responsável pela nova linha.

Segundo o secretário de Desenvolvimento da Região Metropolitana Paulo Roriz, a operação começará da Rodoferroviária até Valparaíso. Nos primeiros seis meses, trafegará 39 quilômetros por hora. Depois dos testes e reparos nas vias, a velocidade vão a 78 km/h. Até Valparaíso, o trajeto de 37 km pode levar 45 minutos. De trem, o percurso deve ser feito em até 30 minutos: os dois vagões farão duas viagens diárias.

Os testes já deveriam estar acontecendo. O contrato foi assinado em 23 de janeiro para trazer o trem com três vagões e capacidade para 600 pessoas. A empresa tinha 15 dias para trazerem de Recife para Brasília, mas o recuo do Governo Federal atrapalhou os planos. Paulo Roriz revelou ainda que, quando o transporte estiver implementado, o DF pode comprar mais um trem para dobrar a capacidade. As tarifas ainda não foram definidas.

A ideia original era que a linha fosse até Luziânia (GO), mas a atual malha ferroviária não chega até lá e, pelo menos por enquanto, não há previsão de estender a linha até o aquele município.

Ponte no Paranoá

Ainda no tema transporte, o chefe do Executivo local apontou a construção de uma nova ponte sobre o Lago Paranoá, que ligará o Paranoá ao Lago Sul. “Sabemos que a barragem não foi feita para ter aquele volume de veículos. Mesmo sendo segura, a viabilidade é difícil. Só temos duas vias e, em caso de acidente, inviabiliza toda a circulação. A JC Gontijo tem um projeto, eles já estavam estudando, que agora terá andamento complementar”, disse.

Está marcada para março uma nova reunião para dar andamento e fazer licitação para saber qual empresa fará a nova ponte. Segundo o governador, a idéia é fazer por meio de Parceria Público Privada colocando um novo setor habitacional, que seria o São Bartolomeu. Apesar disso, há possibilidade de ser viabilizado por financiamentos internacionais. “Vamos ver qual a melhor modelagem para a realização dessa obra”, disse.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Fale com a gente