STF abre licitação para fornecimento de refeições: “Camarão, bacalhau, lagosta, vinhos, uísques e outros”

  O Supremo Tribunal Federal (STF) divulgou, no último dia 26, informações sobre um pregão eletrônico para “serviços de fornecimento de refeições institucionais”, com gasto estimado de R$ 1,134 milhão.

 

Na lista, constam produtos nobres como bobó de camarão, camarão à baiana, “medalhões de lagosta com molho de manteiga queimada”, bacalhau à Gomes de Sá, frigideira de siri, moqueca (capixaba e baiana), arroz de pato, vitela assada, codornas assadas, carré de cordeiro, medalhões de filé e vários outros ‘mimos’.

Vinhos

Espumantes devem ser produzidos pelo “método champenoise e que tenha ganhado ao menos 4 (quatro) premiações internacionais”.

Tinto seco precisará ser Tannat ou assemblage, com safra igual ou posterior a 2010 e que tenha ganhado pelo menos 4 (quatro) premiações internacionais.

Cabernet Sauvignon devem ser das safras iguais ou posteriores a 2010, maturado em barril de carvalho, de primeiro ou segundo uso, por período mínimo de 12 (doze) meses”.

Branco fino seco – a uva precisa ser tipo Sauvignon Blane, safra de 2015 a “colheita das uvas para fabricação do vinho deve ter sido feita manualmente”.

Destilados

Caipirinha somente de limão e cachaça de alta qualidade;

Uísques de malte envelhecidos por 12, 15 ou 18 anos.

Cachaças envelhecidas em barris de madeira nobre por 1 ou 3 anos.

Gim, vodca e conhaque devem ser envelhecidos por no mínimo 2 (dois) anos; vinhos de sobremesa; aperitivos, incluindo coquetéis de bebidas; bebidas digestivas e licores finos”.


abaixo o edital de contratação completo:

EditalSTF

 

Janaína reage à licitação do STF: “Lagosta, whisky, cachaças. Bebida em refeição de trabalho?”

 

A deputada estadual mais votada da história pais, Janaína Paschoal (PSL/SP), reagiu à publicação do Supremo Tribunal Federal (STF) abrindo licitação para “prestação de serviços de fornecimento de refeições institucionais”.

No último dia 26, a Corte divulgou um edital estimado em R$ 1,134 milhão.

“Quando o Presidente me convidou a ser vice, ele disse que, no governo dele, todos comeriam arroz, feijão e ovo; variando com ovo, arroz e feijão. Eu disse a ele ser um prato que aprecio muito.

Agora, leio que o STF seguiu o exemplo do Ministério das Relações Exteriores, para licitar lagosta, whisky, cachaças, para brunch, almoço, jantar, etc.

Eu fico indignada! Essas iguarias, cada um que pague com o próprio salário. E para que bebida em refeição de trabalho?

O Presidente não tem poder de cancelar o edital publicado pelo STF, mas tem o poder de fiscalizar os editais dos muitos Ministérios.

Todos precisam apertar os cintos.

Esse tipo de compra com dinheiro público constitui um acinte, salvo melhor juízo.”


Janaina Paschoal

@JanainaDoBrasil

Relações Exteriores, para licitar lagosta, whisky, cachaças, para brunch, almoço, jantar, etc. Eu fico indignada! Essas iguarias, cada um que pague com o próprio salário. E para que bebida em refeição de trabalho?

2.261 pessoas estão falando sobre isso


 

Paulo Tavares

Paulo Tavares Jornalista redator responsável pelo portal DF em FOCO. Reg, 0010479/DF Meu compromisso é com a verdade. Doa a quem doer...

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Advertisment ad adsense adlogger