Samambaia: Justiça decreta prisão preventiva a autor de assassinato com roleta-russa

Leonardo atirou na cabeça da namorada, Gabrielly Miranda, 18 anos, e afirmou que estava brincando de roleta-russa com a vítima. Justiça considerou a ação dolosa

Em audiência de custódia ocorrida na manhã desta quarta-feira (15), o Núcleo de Audiência de Custódia (NAC) do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) decretou prisão preventiva contra Leonardo Pereira dos Santos, 31 anos, autor do assassinato da namorada Gabrielly Miranda, 18, em um jogo de roleta-russa. A decisão judicial se pauta no histórico de crimes de Leonardo.

O Ministério Público o considerou como um elemento de alta periculosidade. Além de passagens por tráfico de drogas, furto qualificado e violência doméstica, Leonardo respondia em regime aberto por porte ilegal de arma de fogo. “É uma pessoa que tem por hábito portar armas de fogo. (…) Representa um risco à ordem pública. (…) Desde 2008 se tem notícias dele utilizando armas de fogo”, afirma a acusação.

A defesa já acredita que o assassinato se caracteriza como uma situação de culpa consciente: quando o autor, apesar de saber do risco de uma ação poder resultar em um tragédia, acredita que não vá acontecer baseando-se na própria experiência. “Há indício suficiente de homicídio culposo, não havendo o que se falar em prisão preventiva”, declarou o advogado de defesa, Willamys Ferreira Gama.

A decisão final considerou a ação de Leonardo como sendo dolosa (quando há a intenção de matar ou assume propositalmente o risco) pois, em seu depoimento, Leonardo afirmava saber que a namorada tinha conhecimento da arma. Além disso, Gabrielly havia apontado a arma inicialmente contra a própria perna, e não contra a cabeça, como fez Leonardo. A Justiça também considerou o fato dele não estar cumprindo com as condições de manutenção do regime aberto.

Willamys acredita que a conduta de Leonardo teria sido considerada culposa se não estivesse cumprindo pena. “Se ele fosse um trabalhador de carteira assinada e não estivesse respondendo em regime aberto, acredito que o resultado da audiência seria outro”, declara ao Jornal de Brasília.

Relembre o caso

Na madrugada de terça (14), Leonardo acionou a Polícia Militar (PMDF) para sua casa, na QR 425 de Samambaia, confessando ter assassinado a namorada Gabrielly. Leonardo afirmou que, enquanto os dois brincavam alcoolizados de roleta-russa, acabou disparando a arma contra a cabeça da namorada.

Clique para ampliar

 

Paulo Tavares

Paulo Tavares Jornalista redator responsável pelo portal DF em FOCO. Reg, 0010479/DF Meu compromisso é com a verdade. Doa a quem doer...

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Advertisment ad adsense adlogger