Operação desarticula quadrilha suspeita de desviar R$ 1,5 mi da Prefeitura de Planaltina

Com apoio da Polícia Civil de Goiás, procuradores do MP coordenam, neste momento, a execução de mandados de busca e apreensão e prisão em três cidades: Planaltina (GO), Brasília (DF) e Barreiras (BA)

Busca e apreensão em cumprimento nesta manhã de quarta-feira (18) (Foto: MP-GO)

Busca e apreensão em cumprimento nesta manhã de quarta-feira (18) (Foto: MP-GO)

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) iniciou a Operação Chorume na manhã desta quarta-feira (18) para desarticular uma associação criminosa que suspeita de ter atuado na Prefeitura de Planaltina de Goiás, região do Entorno de Brasília (DF), durante o mandato do ex-prefeito David Alves Teixeira Lima, em 2017. O grupo arranjava contratos entre empresas de coleta de lixo e a prefeitura, com dispensa de seleção pública, prática considerada irregular pela Lei federal de Licitações.

Com apoio da Polícia Civil de Goiás, procuradores do MP coordenam, neste momento, a execução de quatro mandados de busca e apreensão, três mandados de prisão temporária e um mandado de prisão preventiva em locais usados pelos membros do grupo. O Juízo da 2ª Vara Criminal de Planaltina expediu ainda mais três mandados de busca e apreensão, dois de prisão temporária e um de prisão preventiva para serem cumpridos em Brasília (DF). Na cidade de Barreiras, na Bahia, devem ser cumpridos um mandado de prisão preventiva e outros três de busca e apreensão – dois deles voltados a pessoas jurídicas.

Mandados foram cumpridos com apoio da Polícia Civil

Mandados foram cumpridos com apoio da Polícia Civil (Foto: MP-GO)

A investigação teve início a partir do Procedimento de Investigação Criminal (PIC) nº 7/2017, onde promotores constataram que a suposta associação criminosa envolvia agentes públicos e empresários empenhados no desvio de dinheiro público. Os procuradores do MP apontam também a prática de fraudes na celebração de dois contratos entre o município e as empresas Rode Bem Locação de Máquinas e Equipamentos Ltda. e G.J. Construções e Serviços Ltda., que, segundo o MP, acarretaram no rombo de R$ 1,4 milhão ao Tesouro Municipal.

A operação tem a coordenação da 4ª Promotoria de Justiça de Planaltina, por meio do promotor de Justiça Rafael Simonetti Bueno da Silva, e conta o auxílio de três promotores de Justiça, bem como dos Centros de Inteligência (CIs) do MP-GO e do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDF), Centro de Segurança e Inteligência do Ministério Público da Bahia (MPBA), dos Grupos de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do MPDFT e do MPBA, das Polícias Civil de Goiás e do DF, bem como da Promotoria de Justiça da Comarca de Barreiras (BA). Participam da operação os promotores de Justiça do MP-GO Rafael Simonetti Bueno da Silva, Douglas Chegury, Fernanda Balbinot e Caroline Yanhez.

A reportagem fez contato com a empresa Rode Bem, em Barreiras (BA), alvo de mandados de busca e apreensão do MP, mas a funcionária que se identificou como Keyla afirmou que, até o momento, a sede da empresa não recebeu agentes da Polícia Civil e membros do MP. “Não estamos sabendo de nada. Aqui na empresa só fica eu, equipe de Recursos Humanos e o pessoal do Financeiro. Mas até agora não apareceu ninguém”, contou. As demais empresas citadas na reportagem não atenderam as ligações.

Tags

Paulo Tavares

Paulo Tavares Jornalista redator responsável pelo portal DF em FOCO. Reg, 0010479/DF Meu compromisso é com a verdade. Doa a quem doer...

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Advertisment ad adsense adlogger