Mais um: Regina Duarte deixa o governo

Regina Duarte troca Secretaria Nacional por Cinemateca em SP Regina passou pouco mais de dois meses à frente da Secretaria de Cultura. Bolsonaro falou sobre a saída da atriz

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



A secretária de Cultura do governo Bolsonaro, Regina Duarte, deixou o cargo na manhã desta quarta-feira (20). Acompanhada da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), a atriz se reuniu com o presidente no Palácio da Alvorada e comunicou a saída.

Bolsonaro falou sobre a baixa e revelou os motivos que levaram a atriz a deixar o cargo. “Regina Duarte relatou que sente falta de sua família, mas para que ela possa continuar contribuindo com o Governo e a Cultura Brasileira assumirá, em alguns dias, a Cinemateca em SP. Nos próximos dias, durante a transição, será mostrado o trabalho já realizado nos últimos 60 dias”, afirmou o presidente, nas redes sociais.

– Regina Duarte relatou que sente falta de sua família, mas para que ela possa continuar contribuindo com o Governo e a Cultura Brasileira assumirá, em alguns dias, a Cinemateca em SP. – Nos próximos dias, durante a transição, será mostrado o trabalho já realizado nos últimos 60 dias.

 CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Polêmicas
Regina passou pouco mais de dois meses à frente da Secretaria. À época, após longa negociação com o presidente, a atriz assumiu o cargo no dia 4 de março deste ano.

De lá para cá, Regina se envolveu em polêmicas e entraves com atores e membros de outras classes artísticas. Carolina Ferraz, por exemplo, teve sua foto publicada em uma rede social de Regina e pediu para remover a imagem, demonstrando ser contrária à colega de profissão e ao governo.

Também houve ruído de comunicação com o próprio presidente. Regina demitiu da Funarte o então presidente Dante Mantovani, após polêmicas sobre comparação entre rock e satanismo. Tempos depois, Bolsonaro readmitiu Mantovani, mesmo a contra-gosto da secretária.

 

Contudo, o que mais marcou o mandato de Regina foram as declarações dadas à emissora CNN. No último dia 7 de maio, a então secretária relativizou as mortes ocorridas na época da ditadura militar, se recusou a ouvir uma pergunta e abandonou, ao vivo, o estúdio onde a entrevista ocorria. Relembre:

Mário Frias
Na terça (19), Bolsonaro compartilhou um vídeo de uma entrevista do ator Mário Frias, também à CNN, onde Frias se coloca à disposição do cargo. ““O Jair, cara, pro que precisar, eu tô aqui”, disse. “Pelo Brasil, eu tô aqui. O que for preciso, não vou correr.”

A declaração foi dada antes da confirmação de que Regina deixou o governo.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Advertisment ad adsense adlogger