Felipe Prior possui duas acusações de estupro, afirma revista

Prior ainda possui outra acusação, de tentativa de estupro. A assessoria do ex-BBB negou-se a comentar as denúncias; confira

Uma reportagem publicada pela Revista Marie Claire nesta sexta-feira (3), traz o relato de mulheres que acusam o ex-BBB Felipe Prior de estupro e tentativa de estupro. A revista teve acesso a documentos que comprovariam os relatos.

Conforme a publicação, o primeiro caso ocorreu durante o jogos universitários das faculdades de arquitetura e urbanismo de São Paulo (InterFAU) em 2014. A vítima teria aceitado uma carona de Prior e, segundo ela, estava bastante alcoolizada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Durante o trajeto, Felipe Prior parou o carro e teria praticado o estupro. Devido a penetração forçada, a vítima sangrou e procurou um hospital. Na unidade de saúde ela não relatou o motivo da lesão, mas afirma que possui o laudo que comprova o ferimento.

“Coloquei a violência que sofri debaixo do tapete por seis anos. Atrasei dois anos da minha faculdade por causa do estupro. Tranquei todas as matérias do curso porque vê-lo era torturante. Ele é um cara agressivo. O que mostrou no BBB não chega perto do que é na vida real”, disse a jovem à Marie Claire.

No InterFAU de 2016, Prior teria tentado estuprar outra jovem. Segundo a vítima, ela entrou na barraca de Felipe, porém, como não havia preservativo, ela negou o sexo. O ex-BBB então teria tentado forçar a relação, mas ela conseguiu se desvencilhar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



O segundo estupro teria ocorrido no InterFAU de 2018, em Itapetininga. A vítima diz que entrou na barraca de Prior e que o ato sexual começou de maneira consentida. Contudo, segundo ela, durante o sexo, Prior começou a ficar violento e teria a agredido.

Posicionamento

Enquanto Felipe estava no programa, a InterFAU foi questionada de o porquê dele ter sido impedido de participar dos jogos. “Temos ciência do que está acontecendo e nos pronunciaremos no momento certo”, afirmou a InterFAU.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



A assessoria de Prior negou-se a comentar as denúncias na reportagem.

O crime de estupro é tipificado como crime hediondo e tem pena de seis a 10 anos de prisão, aumentada para oito a 12 se houver lesão corporal da vítima.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Advertisment ad adsense adlogger