Estado grave: Jovem picado por Naja no DF tem necrose em braço e no coração

Pedro está intubado devido a insuficiência respiratória. Médicos o tratam com noradrenalina, medicamento para manter a pressão arterial

O quadro clínico do estudante Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkul, picado por uma cobra Naja kaouthia de estimação, é considerado grave. A região do ataque do animal, no braço esquerdo, necrosou. Além disso, marcadores de necrose miocárdica estão elevadas, ou seja, a lesão do coração do jovem de 22 anos é grande.

Pedro continua internado na unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Maria Auxiliadora, no Gama. Nesta quinta-feira (9/7), médicos informaram ao Metrópoles alguns detalhes do tratamento do rapaz. A área da necrose no braço ainda não foi operada devido a uma conjuntura clínica.

Um complicador é o choque anafilático que Pedro sofreu. A espécie de reação alérgica mudou o protocolo de uso do soro antiofídico para conter os efeitos do veneno da cobra — considerado um dos mais letais do mundo.

Pedro está intubado devido a insuficiência respiratória. A equipe médica está tratando o rapaz com noradrenalina, medicamento para manter a pressão arterial. Antes, passou por hemodiálise. Ocasionalmente, o veneno ofídico tende a prejudicar a função renal.

Oficialmente, o Hospital Maria Auxiliadora não divulga boletim médico do jovem, a pedido da família, mas informa que ele “está reagindo aos tratamentos”.

Pedro mora na QE 40 do Guará 2 e criava a naja como animal de estimação, apesar de não ser natural de nenhum habitat brasileiro. Ele é estudante de medicina veterinária. Ainda não se sabe as circunstancias do acidente com a cobra. Ele foi picado na última terça-feira (7/7).

A família do jovem importou dos Estados Unidos doses de soro antiofídico. A busca pelo soro — tão raro no Brasil quanto a presença desse tipo de serpente — mobilizou especialistas. As únicas doses disponíveis no país estavam no Instituto Butantan, em São Paulo. Os médicos enviaram ao Distrito Federal todo o estoque disponível.

Entenda o caso
Pedro foi levado ao hospital pelos pais. Ele apresentava palidez, tontura e dormência nos membros inferiores, sintoma que evoluiu e atingiu os membros superiores.

Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), não existe registro, nos últimos anos, de entrada legal de uma cobra dessa espécie no Distrito Federal.

O animal exótico foi encontrado no fim da tarde desta quarta-feira (8/7), dentro de uma caixa de plástico, próximo a um barranco, nas redondezas do shopping Pier 21, no Setor de Clubes Sul. Como Pedro não tem autorização para criar o animal, ele pode ser multado em até R$ 5 mil.

A suspeita de investigadores da Delegacia de Combate à Ocupação Irregular do Solo e aos Crimes contra a Ordem Urbanística e o Meio Ambiente (Dema) é de que a serpente tenha sido alvo de tráfico internacional de animais exóticos. Ela agora está sob os cuidados do Zoológico de Brasília.

Tags

Paulo Tavares

Paulo Tavares Jornalista redator responsável pelo portal DF em FOCO. Reg, 0010479/DF Meu compromisso é com a verdade. Doa a quem doer...

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Advertisment ad adsense adlogger