Depois de dois meses e meio fechados, parques voltam a ser reabertos

Após mais de 70 dias fechados, locais passam por adaptações para evitar-se o contágio pelo novo coronavírus. No entanto, mesmo antes da liberação, a população descumpriu regras e frequentou os ambientes

Segundo frequentadores, a movimentação no Taguaparque, em Taguatinga Norte, é similar aos tempos anteriores à pandemia(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

Os parques do Distrito Federal voltam a receber público, hoje, após mais de 70 dias fechados. A proibição, em vigor até ontem, no entanto, não foi o suficiente para impedir que pessoas deixassem de frequentar esses locais mesmo antes da liberação, burlando decretos governamentais e medidas sanitárias para evitar a propagação do coronavírus.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Autorizados a funcionar pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), por meio de decreto publicado em edição extra do Diário Oficial do DF (DODF) de sábado (leia Regras), os parques funcionarão com adaptações para evitar a disseminação da covid-19. O Correio percorreu, ontem, diferentes regiões administrativas para observar o comportamento das pessoas às vésperas da flexibilização.

No Taguaparque, frequentadores praticavam atividades físicas sem muitas restrições. Alguns também não utilizavam a máscara facial, obrigatória por lei. Adultos e crianças percorriam a área do parque sem considerar o distanciamento necessário para evitar contaminações pelo novo coronavírus. Além disso, não havia nenhum impedimento para a utilização de equipamentos de uso comum. A personal trainer Ana Lemos, 28 anos, frequenta o parque diariamente. Segundo ela, a movimentação no local é similar aos tempos anteriores à pandemia. “Procuro vir nos horários de menor fluxo, mas as pessoas continuam frequentando normalmente. Às 18h, continua sendo o horário de pico, quando o parque está mais cheio. Mas creio eu que, se cada um tomar os devidos cuidados, não haverá problema”, disse a moradora de Taguatinga.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Militar da Aeronáutica, João Maciel, 48, passou a visitar o local após o fechamento do Parque de Águas Claras, onde mora. “Aqui está sempre aberto. Então, com o fechamento dos outros, eu vim para cá. Mas trago sabão, uso a máscara e evito aglomeração. Depois, vou ao banheiro, lavo mãos e braços. Para mim, os parques já deveriam estar abertos há muito tempo. Se você parar tudo, isso também causa mortes. Então, é se cuidar e tocar a vida. Porque, se parar, vai ser pior. Tomando os cuidados e havendo o isolamento das pessoas que estão mais suscetíveis, o restante é vida que segue”, afirmou.

De acordo com o administrador do Taguaparque, Daniel Leite, o acesso ao local não pôde ser totalmente restrito. “O parque é aberto. Não tem como acessar alguns locais de Vicente Pires, a não ser por dentro do parque. É um local 100% urbano e também não tem plano diretor ainda. Esse projeto está em fase de execução”, disse. “Diariamente, a gente faz alerta, com o auxílio dos vigilantes, quanto ao uso da máscara”, complementou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



A reportagem também esteve nos arredores do Parque Ecológico Ezechias Heringer, no Guará, e do Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek, no Plano Piloto. Os dois estão na lista dos locais que reabrem a partir de hoje. Até ontem, no entanto, algumas pessoas continuavam acessando as áreas. De acordo com o Ibram, nestes casos, quando a ação é percebida, a Polícia Militar é acionada. Ainda segundo o instituto, ontem, foram iniciados os isolamentos das áreas de atividades coletivas e equipamentos públicos dos parques geridos pelo órgão.

Administrador do Parque da Cidade, Silvestre Rodrigues Silva, afirmou ao Correio que, desde os primeiros dias de acesso proibido ao local, foi feito “um trabalho de conscientização daquelas pessoas que ainda insistiam em caminhar, correr ou pedalar no parque”, disse. “Com esse diálogo, conseguimos diminuir muito o número de pessoas que ainda insistiam na entrada”, complementou. Segundo Silvestre, banheiros, bebedouros, duchas e aparelhos de ginástica do parque foram isolados. Mesmo com o decreto de reabertura, a circulação de veículos no local permanece proibida, “exceto para deslocamento até os estacionamentos 4 e 5, devendo-se converter as vias internas em pista para pedestres e ciclistas, sob organização e supervisão do Departamento de Trânsito (Detran)”, diz o texto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Fiscalização

De acordo com o decreto que autoriza a reabertura, a fiscalização será de responsabilidade da Secretaria de Esportes do Distrito Federal, do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e das respectivas administrações dos parques. De acordo com a determinação, parques sob a gestão do Ibram e o Parque da Cidade devem funcionar das 6h às 21h, com a proibição de qualquer tipo de comércio, inclusive, de ambulantes. Os equipamentos de musculação e os setores de áreas coletivas são proibidos, além do uso de banheiros e bebedouros.

Em entrevista ao CB.Poder, na segunda-feira, a secretária de Esportes e Lazer do DF, Celina Leão, falou sobre a reabertura dos parques. “Nós não vamos abri-los de qualquer forma, seguiremos protocolos. Estamos com um cadastro aberto de voluntários, onde iremos treiná-los e, a partir de quarta-feira (hoje), eles e profissionais de educação física nos ajudarão a retomar essas atividades. É bom lembrar que não serão todas as áreas do parque abertas. As de uso coletivo, as quadras de vôlei, onde envolve muito contato, ficarão isoladas”, detalhou.

Sobre a fiscalização, a secretária afirmou que fez um apelo à Secretaria de Segurança Pública para auxiliar no trabalho. “O pedido mais importante é para a população, que precisa ser consciente. Cada um tem de fazer a sua parte. Se você ver que tem muita gente, vá para outra pista. Temos 19 parques que serão abertos, então é muito trabalho e responsabilidade”, pediu.

Por meio de nota, a secretaria destacou que equipes estão visitando os parques, para que todas as medidas sejam cumpridas. Além dos servidores da pasta, 200 voluntários foram treinados para darem orientações aos usuários nos locais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



  • Regras

    » Horário: das 6h às 21h
    » É proibido qualquer tipo de comércio dentro dos parques, inclusive, ambulantes
    » Todos os equipamentos de musculação e demais áreas de atividades coletivas devem ser bloqueados
    » Banheiros e bebedouros devem ser interditados
    » É proibido acampamento nas dependências
    » O uso de máscara de proteção facial é obrigatório para todos os frequentadores
    » No Parque da Cidade, o trânsito de veículos está proibido, exceto para deslocamento até os estacionamentos 4 e 5, devendo-se converter as vias internas em pista para pedestres e ciclistas, sob organização e supervisão do Detran
    » Responsáveis pela fiscalização: Secretaria de Esportes e Lazer, lbram e as administrações dos parques
  • Abrem a partir de hoje

    1. Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek
    2. Parque Ecológico do Paranoá
    3. Parque Recreativo do Gama (Prainha)
    4. Parque Ecológico do Gama
    5. Parque Ecológico Sucupira (Planaltina)
    6. Parque Ecológico do Lago Norte
    7. Parque Ecológico da Asa Sul
    8. Parque Ecológico Olhos D`água
    9. Parque Ecológico Ezequias Heringer (Guará)
    10. Monumento Natural Dom Bosco (Lago Sul)
    11. Parque Ecológico de Águas Claras
    12. Parque Ecológico do Riacho Fundo
    13. Parque Ecológico do Areal (Arniqueira)
    14. Parque Ecológico Veredinha (Brazlândia)
    15. Parque Ecológico do Cortado (Taguatinga)
    16. Parque Ecológico 3 Meninas (Samambaia)
    17. Parque Ecológico do Tororó
    18. Parque Ecológico das Copaíbas (Lago Sul)

Paulo Tavares

Paulo Tavares Jornalista redator responsável pelo portal DF em FOCO. Reg, 0010479/DF Meu compromisso é com a verdade. Doa a quem doer...

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Advertisment ad adsense adlogger