[VÍDEO] Vigilante executa porteiro após briga por causa de papel jogado no chão, em Itumbiara

2
2748
Vigilante é suspeito de matar porteiro após briga por causa de papel jogado no chão, em Itumbiara

Vigilante é suspeito de matar porteiro após briga por causa de papel jogado no chão, em Itumbiara

O porteiro Guilherme Alves Pereira, de 22 anos, foi morto a tiros, neste sábado (13), durante o trabalho em um condomínio de Itumbiara, no sul goiano. Segundo a Polícia Civil, o vigilante Wallas Gomes de Lima, de 27 anos, é suspeito de cometer o crime após uma discussão por causa de um pedaço de papel jogado no chão.

“O vigilante atirou uma bola de papel no lixo da guarita do porteiro, que pediu que ele catasse. Eles iniciaram uma discussão, a certa altura o vigilante colocou ele de costas e atirou na cabeça dele”, disse o delegado responsável pelo caso, Ricardo Chueire.

a reportagem não conseguiu localizar a defesa de Wallas até a publicação desta reportagem. Ele fugiu do local e não foi encontrado pelos policiais até a publicação desta reportagem.

O crime aconteceu por volta das 4 horas deste sábado, no imóvel localizado na Avenida Furnas. Após o crime, o suspeito guardou a arma no cofre da empresa e deixou o local.

Guilherme Alves Pereira, de 22 anos, é morto durante o trabalho em condomínio de Itumbiara — Foto: Reprodução/ TV AnhangueraGuilherme Alves Pereira, de 22 anos, é morto durante o trabalho em condomínio de Itumbiara — Foto: Reprodução/ TV Anhanguera

Guilherme Alves Pereira, de 22 anos, é morto durante o trabalho em condomínio de Itumbiara — Foto: Reprodução/ TV Anhanguera

Chueire informou que vítima e suspeito já tinham se desentendido em outra ocasião. “Houve uma discussão há um tempo a respeito da divisão do gasto de combustível e, desde então, a relação deles estava abalada”, declarou o delegado.

O corpo de Guilherme foi levado para o Instituto Médico Legal de Itumbiara. Após os exames, foi liberado para a família.

A empresa responsável pelos funcionários lamentou, em nota, a morte do porteiro e informou que “as medidas possíveis para evitar e prevenir tal fato são e sempre foram tomadas, como: treinamento apropriado, cursos, checagem de antecedentes, reciclagem, testes psicotécnicos e acompanhamento psicológico dos profissionais”.

Uma equipe da empresa se deslocou até a cidade para tomar as medidas necessárias: “Neste momento, nos cabe estender todo o amparo possível à família de nosso colaborador, o que estamos realizando desde o momento em que o fato ocorreu”.

2 COMENTÁRIOS

    • Não fala bobagem, idiota! Louco com arma tem em toda a parte independente se é policia, juiz, vigilante ou bandido. Se tu é um covarde e incapaz de usar uma arma: não use! mas não venha usar uma tragédia destas para justificar o desarmamento do cidadão ordeiro. Seria o mesmo que, por um bêbado atropelar e matar alguém, tu vir dizer que cidadão de bem não pode ter automóvel. Se um louco atear fogo numa casa, dizer que cidadão de bem não pode ter isqueiro. Ou se um modelo boa pinta comer tua mulher, tu dizer que homem bonito não pode sair a rua! Cresce!

DEIXE UMA RESPOSTA