Professor acusado de humilhar aluno leva “chinelada” de adversários

0
51

Depois de ser condenado pela Justiça a pagar R$ 900 por mandar um aluno ficar descalço durante a aula, o professor Jordenes Ferreira da Silva passou de vice a diretor e começou uma campanha pelas ruas de Planaltina. Um muro foi pintado com o nome dele, mas os opositores agiram rápido. Desenharam um par de chinelos para lembrar do episódio em que Jordenes foi acusado de humilhar o garoto de 12 anos no Centro de Ensino Fundamental do Arapoanga, em Planaltina.

Em um fundo amarelo, foram colocados os dizeres “Educação é no site www.professorjordenes.com . Jovens aparecem no vídeo que circula nas redes sociais em cima da pintura fazendo piada, na Quadra 2, Conjunto L, Lote 1, no Arapoanga, com o nome de educador. “Vem tomar meu chinelo, Jordenes”, disse um deles.

Em 2014, Jordenes recebeu 10.924 votos e ficou 30º lugar na disputa. Ele foi mais votado que Wellington Luiz (PMDB), Raimundo Ribeiro (PPS) e Luzia de Paula (PSB), mas ficou de fora da Câmara Legislativa porque o PPS não conseguiu alcançar o quociente eleitoral.Em conversa por telefone, Jordenes afirmou estar “perplexo” com a situação. Ele nega qualquer tipo de promoção pessoal. E garante não saber que o muro tinha sido alterado. “Nosso trabalho é sério e, se você acessar o site, vai saber que fala sobre educação em uma comunidade com apenas uma escola. A página não faz qualquer tipo de promoção pessoal e é focada em prestar um serviço”, defendeu.

Após a eleição, o candidato diz ter saído do PPS e que não está pensando no próximo pleito. “A prova de que não foi um projeto pessoal é que eu voltei para a escola, fui eleito diretor e continuo com foco na educação”, ressaltou. Ainda sem partido, ele despista sobre o futuro político. “Não estou pensando nisso”.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA