Privatização da saúde – Rollemberg diz que vai transformar Hospital do Gama em instituto

0
88

Em caminhada pela comercial da região, candidato à reeleição comentou denúncias contra Fraga (DEM) e Eliana Pedrosa (Pros)

JP Rodrigues /Especial para o Metrópoles

Tentando reagir à estagnação nas pesquisas eleitorais, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) fez peregrinação no Gama nesta quarta-feira (26/9). Lá, distribuiu panfletos e santinhos, ao lado do seu vice, Eduardo Brandão (PV), de cabos eleitorais e embalado por jingles de sua campanha. O socialista se comprometeu a reformar o Hospital Regional do Gama (HRG) e transformá-lo no mesmo modelo de gestão do polêmico Instituto Hospital de Base de Brasília (IHB).

O candidato à reeleição se prometeu, também, a melhorar a infraestrutura do Programa de Apoio ao Empreendimento Produtivo do DF (Pró-DF), regularizar o condomínio Ponte da Terra e asfaltar a Avenida Buriti na região. “Próximo ao Gama, em Santa Maria, vamos construir uma escola técnica que já estamos licitando”, garantiu.

Questionado sobre a falta de segurança na cidade, uma das principais reclamações dos comerciantes, o buritizável respondeu que irá contratar 3,3 mil policiais militares e investir em 2,2 mil câmeras integradas. “Também vamos colocar os aparelhos na porta de todas as escolas do DF para ter controle em tempo real do que está acontecendo”, afirmou.

A sensação de insegurança no Distrito Federal atinge sete a cada 10 brasilienses. Pesquisa encomendada ao Instituto FSB aponta que o medo de ser assaltado, roubado ou de sofrer algum tipo de violência assusta a maioria dos moradores da capital da República.

Segundo o levantamento, 73% dos entrevistados sentem-se pouco ou nada seguros em Brasília. Outros 16% declaram sentirem-se seguros, e apenas 1% marcou a opção “muito seguro”.

Para conquistar votos, o governador reconheceu que não fez tudo o que gostaria e, por isso, “precisa de mais um mandato”. Novamente, criticou os concorrentes. “Nós temos um conjunto de candidatos que representam o passado de corrupção que o DF não quer de novo. Um dia é a condenação de um. No outro, o pedido de indiciamento de outro”, disse.

Rollemberg refere-se à condenação de Alberto Fraga (DEM) por suposto recebimento de propina durante contratação de cooperativa de transporte e à denúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro contra Eliana Pedrosa(Pros), por suspeita de formação de cartel.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA