PCDF prende quadrilha que alugava e vendia armas para criminosos de Novo Gama e Santa Maria

Foram expedidos 15 mandados de prisão preventiva e 16 de busca e apreensão nas regiões administrativas de Taguatinga, Santa Maria, além de Novo Gama e Cidade Ocidental

 

Polícia Civil deflagrou, nas primeiras horas desta segunda-feira (08/07/2019), megaoperação para desarticular a associação criminosa especializada na venda, aluguel e tráfico interestadual de armas e munições.

Foram expedidos 15 mandados de prisão preventiva e 16 de busca e apreensão nas regiões administrativas de Taguatinga, Santa Maria, além de Novo Gama e Cidade Ocidental, no Entorno do Distrito Federal. Até as 8h, 11 pessoas já haviam sido presas e três armas apreendidas.

As investigações que deram origem à Operação Yuri Orlov – russo considerado um dos maiores traficantes internacionais de armas do mundo – monitoraram os suspeitos durante as transações envolvendo revólveres, pistolas e outros armamentos de grosso calibre, a exemplo fuzis e escopetas.

No decorrer das apurações, os agentes da PCDF identificaram que a quadrilha adquiriu conhecimento técnico para alterar o poder de fogo das armas. Pistolas passaram a receber opções como seletores de rajada, tornando-se ainda ainda mais letais.

A quadrilha é acusada de alimentar o mercado paralelo de armas usadas na prática de crimes como homicídios, latrocínios e tráfico de drogas.

De acordo com o diretor da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos (DRF), delegado Fernando Cocito, os criminosos alugavam e vendiam as armas para outras quadrilhas. “Conseguimos identificar nas investigações que determinados armamentos poderiam custar entre R$ 2,5 mil e R$ 5 mil, no caso da venda. O aluguel giraria entre R$ 250 e R$ 500”, detalhou.

Algumas armas, como as escopetas, também sofreriam transformações em sua estrutura para facilitar o manuseio, tendo os canos serrados.

“Além disso, foi possível perceber durante as investigações que alguns integrantes da associação criminosa também desenvolveram técnicas de produção das peças usadas nas armas, formando uma verdadeira linha de montagem voltada à manutenção dessas armas”, ressaltou o delegado Diego Castro, que também conduz as apurações.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Fale com a gente