Casal é preso suspeito de assassinar menina Vitória no interior de SP

0
252

Vítima tinha 12 anos quando foi encontrada desfigurada em uma área da mata da cidade Araçariguama no sábado (16). Um homem já tinha sido preso

Casal suspeito de assassinar menina Vitória é preso nesta sexta-feira

Casal suspeito de assassinar menina Vitória é preso nesta sexta-feira

Reprodução

Um casal suspeito de participar do desaparecimento e da morte da menina Vitória Gabrielly, de 12 anos, em Araçariguama, no interior de São Paulo, foi preso pela Polícia Civil no início da manhã desta sexta-feira (29).

A polícia cumpriu o mandado de prisão temporária de cinco dias, decretada pela Comarca de São Roque, ainda na noite de ontem (28). Os policias ficaram cerca de 15 minutos dentro da casa da dupla, onde fizeram uma varredura.

Maiara Borges e Bruno Marcel de Oliveira foram conduzidos para as viaturas e, em seguida, encaminhados para a delegacia de Mayrinque, onde prestarão depoimentos. Ambos irão fazer o teste do IML (Instituto Médico Legal) e depois vão para cadeias — a polícia ainda não sabe qual penitenciária. A dupla possui histórico criminal: ele por tráfico de drogas e ela por roubo.

Questionados pelo repórter da RecordTV Leonardo Lara, a dupla negou envolvimento no crime e afirmou ser inocente.

Além do casal, a Justiça decretou, também na noite desta quinta-feira, a prisão preventiva de Júlio Cesar Lima, que já estava detido. Ele foi indiciado por homicídio doloso. Ele nega ter participado do crime, mas afirma que esteve com um casal que levou a menina de carro no dia em que ela teria sido assassinada.

Casal é preso temporariamente por suspeita de envolvimento no caso Vitória

Casal é preso temporariamente por suspeita de envolvimento no caso Vitória

Reprodução RecordTV

Vitória desapareceu no último dia 8 de junho, depois de sair de casa para andar de patins, em Araçariguama, interior de São Paulo. O corpo foi encontrado oito dias depois, em uma mata, à margem da Estrada de Aparecidinha, no bairro do Caxambu. A polícia ainda investiga as motivações para o crime.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA