Homem degolado em Brazlândia foi torturado, diz polícia

0
189

Um homem foi preso em flagrante e contou que segurou a vítima enquanto o comparsa o esfaqueava

O corpo encontrado com corte profundo no pescoço na manhã de quinta-feira (15) em Brazlândia é de um lanterneiro de 52 anos. De acordo com a Polícia Civil, Bartolomeu Rodrigues Ramos foi segurado por um homem enquanto um adolescente de 17 anos o esfaqueava. Antes de morrer degolada, a vítima teria sido torturada. Um dos suspeitos foi preso e alega acerto de contas, mas o delegado responsável pelo caso não acredita na versão.

“Foi uma maldade sem tamanho”, define Adval Cardoso, delegado-chefe da 18ª Delegacia de Polícia (Brazlândia), que investiga o caso. Na manhã desta sexta-feira (16), Felipe Gustavo Ferreira de Sousa, 20 anos, foi preso em flagrante com a roupa, ainda suja de sangue, escondida. Ele confessou o crime, mas diz que não deu facadas, apenas segurou a vítima para que o comparsa, adolescente, matasse o homem.

O corpo do lanterneiro foi encontrado com a cabeça praticamente decapitada em uma área próxima da estação da Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb) da região. Uma vigilante avistou a vítima e chamou a polícia.

 

Em depoimento, Felipe contou que o adolescente queria matar Bartolomeu por acerto de contas após se encontrarem, por coincidência, em um bar. Ele não soube dizer qual seria a dívida que teria motivado a ação. “Apesar do relato, os elementos nos levam a crer que foi crime de latrocínio. Não há relação entre autores e vítima, que não consumia drogas e era trabalhador, mas tinha mania de beber”, diz o delegado.

Bartolomeu trabalha como lanterneiro em uma oficina automotiva. No bolso, ele tinha o documento e as chaves de um carro, possivelmente de um cliente. “Por azar, ele estava com os objetos, que foram encontrados próximo ao corpo. Acreditamos que eles queriam o veículo”, revela Adval Cardoso. Corrobora com a teoria o fato de que a dupla teria sido flagrada por testemunhas tentando furtar outro automóvel nas redondezas.

O preso deve passar por audiência de custódia. Com passagens anteriores, inclusive da época de adolescente, Felipe Gustavo Ferreira de Sousa tinha um mandado de busca e apreensão em aberto. Desta vez ele foi autuado por homicídio triplamente qualificado e corrupção de menores. Se condenado, o acusado poderá pegar pena máxima de 30 anos. O adolescente continua foragido.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA