Farinha do mesmo saco: Senado devolve mandato de Aécio Neves: placar 44×26

Por 44 votos não e 26 sim, os senadores revogaram as medidas cautelares impostas pelo Supremo Tribunal Federal ao senador Aécio Neves (PSDB-MG). Por volta das 19h30, os senadores começaram a registrar seus votos sobre o afastamento de Aécio Neves (PSDB-MG). O processo durou cinco minutos.

Veja placar final: 

Rafaela Felicciano/Metrópoles

RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

O tucano precisava de 41 votos dos 81 parlamentares para derrubar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que lhe impôs medidas restritivas – o presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE), tem a prerrogativa de não se manifestar.Aécio Neves está afastado das funções parlamentares desde 26 de setembro, quando também foi passou a ser obrigado a se recolher em casa no período noturno. A sessão começou às 17h05 e 10 oradores defenderam seus pontos de vista: cinco contra as medidas cautelares impostas ao mineiro pelo STF e cinco em apoio à decisão do Supremo. Essa fase terminou às 18h55 e os partidos deram início à orientação de voto. O painel da Casa registra presença de 69 senadores.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes decidiu nesta terça que a votação no plenário do Senado será aberta e nominal. O pedido foi feito pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).Antes de abrir a sessão, o presidente do Senado afirmou que cumprirá a determinação do STF: “A matéria está na pauta, é o primeiro item a ser votado. Não cabe ao presidente do Congresso colocar parlamentares no plenário e sim tomar as decisões, mesmo quando questões de ordem são levantadas”, comentou. Por isso, disse, ele resolveu que a votação será aberta, conforme já havia entendido a Justiça (inicialmente em primeira instância, mas depois confirmada pelo STF.

“Então, eu já tinha tomado a decisão de fazer a votação aberta. Eu vou dar seguimento, vou tratar a matéria da forma como ela deve ser tratada”, afirmou Eunício.

Trâmite
Após o pronunciamento dos 10 inscritos, os partidos farão a orientação partidária e, só depois, começará a votação do caso pelo plenário. Um ao um os senadores se encaminharão ao microfone para se declarar a favor das medidas cautelares impostas a Aécio ou contra.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Entre em nosso grupo