Estelionatária aplicava golpes em grandes empresários de todo o Brasil

0
180

Estelionatária aplicava golpes em grandes empresários de todo o Brasil
Foto: Divulgação/PCDF

Gilda Maria da Silva Xavier, 53 anos, se apresentava como advogada e enganava vítimas que atuavam no sistema financeiro

A Polícia Civil (PCDF), por meio da Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf), prendeu nesta quinta-feira (21) uma estelionatária que aplicava golpes em grandes empresários de todo o País. Em uma das ocasiões, a mulher chegou a causar um prejuízo de quase R$ 500 mil a um empresário paulista. O mais curioso: todos os golpes eram aplicados por meio de pagamentos em dólar.

De acordo com a diretora da Divisão de Falsificação e Defraudação da PCDF, delegada Isabel Morais, Gilda Maria da Silva Xavier, 53 anos, responde a seis inquéritos no DF e ainda fez vítimas em São Paulo e no Paraná. “É incalculável o número de golpes que ela pode ter cometido em todo o Brasil. Desde 2001, pelo menos, ela já praticava crimes deste tipo”, comenta.

Gilda tinha dois mandados de prisão em aberto: um expedido pela 1ª Vara Criminal Juizado da Infância e da Juventude de Nova Lima (MG) e o outro  pela 13ª Vara Criminal de Goiânia (GO).

A criminosa se apresentava como advogada e tinha uma suposta indicação de uma pessoa notória, em âmbito nacional, no mundo da política. As vítimas eram investidores do mercado financeiro. Tinham alto poder aquisitivo e conhecimento na área. “Ela ganhava a confiança dessas pessoas utilizando o nome desse político e também com o seu alto conhecimento dos jargões do setor financeiro. Entretanto, não há comprovação da participação dele [político] nos crimes, então, ainda investigaremos esta questão”, esclarece Isabel.

Monetização

Gilda afirmava aos empresários que prestava serviço para a abertura de plataformas de monetização de títulos. Na prática, as vítimas faziam o investimento acreditando que estes tútulos poderiam ganhar valor no mercado internacional. “Era tudo mentira, mas uma boa mentira. Ela sabia do que estava falando. O que mais chamou a atenção durante a investigação foi o seu conhecimento técnico da área”, reconhece a delegada.

Uma das vítimas, um empresário paulista que teve o prejuízo de quase meio milhão de reais, chegou a viajar para Brasília somente para registrar ocorrência na delegacia. “Gilda foi até São Paulo para fechar o suposto negócio com a vítima. Entretanto, o dinheiro do investimento foi depositado em uma conta do DF”, explica Isabel.

O titular da conta já foi identificado e possui vínculo com a estelionatária. Ele também será indiciado pelo crime de estelionato junto com a mulher.

Agora, a Polícia Civil espera identificar mais vítimas com a prisão de Gilda, além de saber o destino de todo o dinheiro adquirido pela criminosa. “Acreditamos que ela utilizava da lavagem de dinheiro para despistar as autoridades”, finaliza a delegada.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA