Empresa do pai da jornalista da Folha que atacou Bolsonaro foi acusada de receber R$ 1,5 mi em propina do PT

0
766

A revista fundada e dirigida pelo pai da jornalista da Folha que fez a matéria sobre disparos no Whatsapp acusando Jair Bolsonaro já foi citada em delação premiada por Marcelo Odebrecht.

A denúncia é do ativista e economista Leandro Ruschel

Então o pai da “jornalista” que o PT utilizou para atacar Bolsonaro naquela matéria ridícula do Whatsapp está envolvido na Lava Jato? Segundo Odebrecht, a revista do sujeito recebeu grana da empresa a mando da quadrilha petista. 

Em 13 de abril de 2017, a Revista VEJA! noticiou:

Os acordos de colaboração premiada da construtora Odebrecht revelaram influência do governo federal em favor de determinados veículos de comunicação. Um dos cinco documentos que citam o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega (PT) trata de um pedido feito por ele para que a Odebrecht fizesse um patrocínio, no valor de um milhão de reais, à revista Brasileiros, editada pela Brasileiros Editora.

Já a revista VALOR noticiou que o repasse chegou a R$ 1,59 mi:

Em depoimento de colaboração premiada, Marcelo Odebrecht, ex-diretor presidente da empresa, afirma ter pago R$ 1,599 milhão em patrocínio, realizado por meio da petroquímica Braskem, à revista “Brasileiros” a pedido do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega. Segundo Marcelo, Mantega teria pedido para a empresa apoiar a revista, que, segundo o empresário, publicava conteúdo favorável ao governo. O pagamento teria sido realizado em duas parcelas.

revista_brasileiros_1.jpgBrasileiros foi uma revista mensal de reportagens publicada pela Brasileiros Editora Ltda., lançada em julho de 2007. A editora foi dirigida por Hélio Campos Mello, pai da jornalista Patrica Campos Mello, que assina a matéria da Folha sobre supostos disparados de whatsapp contra Haddad.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA