Presas travestis suspeitas de participar de latrocínio no Setor Hoteleiro

0
713

As travestis foram encontradas nesta quarta-feira. A terceira envolvida, Bianca, que teria desferido os golpes contra a vítima, está foragida

A travesti Cindy foi presa na manhã desta quarta-feira (23/3), na região de CerradinhoSarah Peres/Esp. CB/D.A Press
A travesti Cindy foi presa na manhã desta quarta-feira (23/3), na região de Cerradinho(foto: Sarah Peres )

A Polícia Civil identificou três travestis suspeitas de participarem do latrocínio de Carlos Augusto Lopes Salazar, 35 anos, encontrado morto na quadra 3 do Setor Hoteleiro Sul, entre dois hotéis da região, na madrugada de terça-feira (20/3). Duas já foram presas pela 5ª Delegacia de Polícia (Área central), nesta quarta-feira (21/3), e, de acordo com a polícia, confessaram o crime. As três envolvidas responderão por latrocínio e podem pegar até 30 anos de prisão.
Antônio Duarte Bezerra, 27 anos, conhecida como Cindy, foi presa pela manhã, na região conhecida como Cerradinho, entre o Palácio do Planalto e o Palácio do Jaburu. Leonardo Ferreira de Aquino, 23, chamada de Ashley, foi presa em Ceilândia. Railan Marcos do Santos, 20, que se identifica como Bianca, está foragida, e é suspeita de ter desferido as facadas contra a vítima.
De acordo com o delegado-chefe da 5ª DP, Rogério Henrique Rezende, Carlos teria ido até o local para fazer um programa com Cindy, pelo valor de R$ 50. A profissional, no entanto, pediu um adiantamento pelo serviço. O homem teria negado a proposta, alegando que pagaria no fim do programa. Desse modo, os dois começaram a discutir.
“Ela (Cindy) queria que o Carlos pagasse o programa antes do serviço, mas ele discordou. Disse que iria pagar depois que terminassem. Diante disso, as outras duas travestis, Ashley e Bianca, se aproximaram do carro, e passaram a exigir da vítima o pagamento”, explica o delegado. “Assim, a vítima teria desistido do programa e pedido que Cindy saísse do carro. No momento que ela desembarcou, as três decidiram roubar o Carlos. Elas adentraram o veículo, a Bianca desferiu os golpes, enquanto as outras duas pegaram os pertences dele”, finalizou Rogério.
As três deixaram o local em seguida, parando a poucos metros de distância do carro. Elas foram conferir a carteira de Carlos, em busca de dinheiro, e viram que estava vazia. Segundo o depoimento de Cindy à polícia, Bianca teria dito: “Viu? Ele ia dar o cano em você. Como eu dei as facadas, o celular fica comigo”.
Poucos instantes depois, um motorista passou pela área, assustando as travestis, que correram da cena do crime. Um vídeo divulgado mostra o momento que o trio deixa o local. A versão de Cindy foi confirmada por Ashley.
As três envolvidas têm antecedentes criminais. Cindy tem passagem pela polícia em 2017, por furto a comércio, e em 2011, por roubo. Ashley foi presa em 2017 por porte e tráfico de drogas. Bianca é a que tem a lista mais extensa: em 2015, foi fichada por resistência e desacato; em 2016, tem passagem por desacato; no ano passado, tem uma passagem por tráfico de drogas e duas ocorrências por furto.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA