Hospital é condenado por trocar cadáver de mulher e devolvê-lo nu à família

0
63
Hospital é condenado por trocar cadáver de mulher e devolvê-lo nu à família
Shutterstock

O corpo de Henriqueta foi levado para Itapaci, no interior de Goiás

O Hospital Evangélico Goiano (HEG), em Anápolis, foi condenado a pagar R$ 30 mil de danos morais para Walter Gomes Veloso por ter trocado o corpo da mãe com o de outra mulher. O corpo de Henriqueta Veloso foi levado para Itapaci, a 200 km de distância, e, ao ser devolvido, estava nu.

Henriqueta morreu na madrugada do dia 9 de abril de 2014, e o desejo da família era de enterrar o corpo no início da manhã do mesmo dia. O hospital, no entanto, não liberou o cadáver a tempo. Os parentes cobraram a liberação por horas, mas só por volta do meio-dia um funcionário do HEG relevou a confusão para a família.

De acordo com a reportagem , parentes disseram que Henriqueta foi arrumada com as roupas levadas por familiares da outra mulher que morreu no hospital. Quando desfizeram a troca, a idosa estava nua, o que provocou revolta na família.

“Ao receber o corpo da senhora Henriqueta completamente descoberto, despida, nua, sem nenhum cuidado, onde, muito embora esta já não pudesse mais sentir frio, por sua ausência de vida, entretanto, tal cena tocou profundamente a todos os familiares”, alega a acusação.

A família de Henriqueta pediu R$ 1 milhão por danos morais. O juiz considerou que o hospital agiu com “absoluta negligência”, mas avaliou que a quantia era “fora da realidade”. Por isso, a reduziu para R$ 30 mil. Ainda cabe recurso da decisão.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA