STAR MOVEIS DO GAMA DISCRIMINA COMUNIDADE SANTA LUZIA, NA CIDADE ESTRUTURAL

0
851

TEXTO RETIRADO DO FACEBOOK

Nunca usei Facebook para denegrir a imagem de ninguém, mas hoje a história mudará, e senta que lá vem texto:
Dia 02 de fevereiro eu fui à loja Star móveis no setor central do Gama e comprei dois beliches e um rack para a família da Comunidade que havia perdido a casa em novembro por causa da chuva.
Combinei com o vendedor o endereço, expliquei que era na Comunidade Santa Luzia e ele disse que tudo bem! Que a loja iria entregar e montar tudo!
Hoje recebi a ligação do entregador dizendo que eles não entrariam “naquele lugar” e que se nós quiséssemos, era pra alguém subir até a porta do lixão com um carrinho de mão para buscar! ISSO MESMO MEUS AMIGOS! UM CARRINHO DE MÃO!
Voltei à loja, falei com o gerente que ligou para a central da Star móveis e a atendente explicou que era procedimento da loja não entrar “nesse tipo de local.”
Agora eu me pergunto: QUE TIPO DE LOCAL, MINHA AMIGA?
A Favela é local de gente COMO A GENTE! De pessoas batalhadoras, sofridas, famílias esquecidas pelo Estado e que vivem à beira da miséria, tomando água contaminada, enfrentando o medo da chuva, do frio. Acendendo suas velas quando o “gato” da luz não funciona. Gente que sofre pra criar seus filhos no meio da violência e da desigualdade social. Gente que agora está desempregada por causa do fechamento do lixão. Gente que ora todas as noites pedindo a Deus para que o Estado não mande tratores para derrubarem suas casinhas que foram construídas com muito suor. GENTE MELHOR QUE MUITA GENTE “AQUI DE FORA”. Gente melhor do que vocês dessa empresa desumana e incompetente!

Compramos com o dinheiro DE VOCÊS, GALERA! Quem me conhece imagina que eu fui até o fim por essa causa, mas infelizmente os móveis não serão entregues. Cancelei a compra e estou esperando o dinheiro de volta.
Enquanto isso, a família continua dormindo no chão, pela falta de empatia e amor dos seres desumanos.

Desculpem pelo desabafo, mas quero ir até o fim. Escrevo esse texto aos prantos, pelas famílias que eu tanto amo naquele local.
Vamos processar a loja e lutar pelo direito das nossas famílias.
Sinto dizer aos responsáveis por essa palhaçada que na Santa Luzia não tem nenhum bicho, mas aqui tem e esse bicho SOU EU e para de defendê-los eu vou além das minhas forças.

Beijos e até a próxima!

Nossa equipe de reportagem tentou contato com a empresa, entretanto apos nos identificarmos e expormos o assunto fomos desligados da ligação.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA