Entrevista Exclusiva: Ex é preso suspeito de ajudar a matar cabeleireira que estava desaparecida em Inhumas

0
696

Vítima havia sumido há mais de 20 dias após sair de agência bancária. Corporação que investigava caso não informou quem é autor do crime ou onde corpo foi achado.

Lorraine Fernandes desapareceu após sair para ir ao banco em Inhumas (Foto: TV Anhanguera/ Reprodução)

Lorraine Fernandes desapareceu após sair para ir ao banco em Inhumas (Foto: TV Anhanguera/ Reprodução)

A cabeleireira Lorraine Fernandes, de 32 anos, desaparecida há 20 dias, foi encontrada morta, nesta terça-feira (16). Ela desapareceu em Inhumas, na Região Metropolitana de Goiânia, após sair de uma agência bancária na cidade. A Polícia Civil não informou onde o corpo da vítima foi localizado, quem é o autor do crime ou como ela foi morta.

A família estava em buscas de informações sobre o paradeiro da mulher desde último dia 26 de dezembro. O carro em que a cabeleireira estava foi encontrado abandonado e com uma marca de tiro.

A Polícia Civil chegou a criar uma força-tarefa para resolver o caso e a família fez uma campanha para buscar informações sobre onde estaria a cabeleireira. Procurado pela reportagem, o delegado responsável pelas investigações, Humberto Teófilo, disse que só prestará esclarecimentos sobre a resolução do crime na quarta-feira (17).

A filha de 14 anos da vítima chegou a dizer, em entrevista à TV Anhanguera, o quanto sentia falta da mãe. “Tudo eu fazia com ela. Sair, brincar. Ela me levava no colégio, buscava. Que ela apareça bem. Viva”, pediu.

Lorrainde deixa ainda outra filha de 17 anos e mais um filho de 11 anos de idade.

Ex é preso suspeito de ajudar a matar cabeleireira que estava desaparecida em Inhumas

Segundo a polícia, ele não aceitava o fim do relacionamento com Lorraine Fernandes, de 32 anos. Delegado diz que homem amarrou vítima e contratou amigo para atirar contra ela.

Lorraine Fernandes foi encontrada morta em canavial de Inhumas (Foto: TV Anhanguera/ Reprodução)

O ex-marido da cabeleireira Lorraine Fernandes, de 32 anos, que foi encontrada morta após 20 dias desaparecida, foi preso na terça-feira (16) suspeito de mandar matá-la, em Inhumas. Segundo a Polícia Civil, o representante comercial Rogério Trindade do Couto, de 38 anos, não aceitava o fim do relacionamento. Dioy Belamino dos Reis, de 18, também foi preso suspeito de atirar contra a vítima.

Lorraine desapareceu no dia 26 de dezembro após sair para ir ao banco. O carro dela chegou a ser encontrado abandonado e com uma marca de tiro na porta. O corpo da cabeleireira foi achado em um canavial da cidade quando era feito a colheita no local.

De acordo com a Polícia Civil, Rogério e Dioy são amigos há muitos anos. O ex-marido de Lorraine, inconformado com o fim do casamento, prometeu pagar R$ 5 mil ao jovem para cometer o crime. As investigações apontam ainda que o mandante do crime também ajudou o comparsa, amarrando a mulher antes que ela fosse baleada.

Segundo o delegado Humberto Teófilo, Rogério e Lorraine tinham uma relação conturbada. O homem já havia sido indiciado por lesão corporal contra a ex-mulher e nega que tenha participado do crime.

“Ele não aceitava de forma alguma o fim do relacionamento e planejou este crime após fazer diversas ameaças. Desde novembro ele vinha pensando em matá-la e encontrou no amigo, o Dioy, a forma de concretizar. O próximo alvo seria o atual marido de Lorraine, de quem tinha um ciúme doentio”, disse o delegado.

Teófilo explicou ainda que Rogério acompanhou os passos de Lorraine desde o momento em que ela saiu de casa para ir ao banco. Após ela sair da agência, o representante ligou para o Dioy, que é ex-funcionário do atual marido de Lorraine, para que ele cometesse o crime.

“Dioy foi até a praça central de Inhumas e, por conhecer Lorraine, pediu uma carona. No caminho eles tiveram uma discussão e ele falou a ela que Rogério havia mandado matá-la. Ele a rendeu, levou até a zona rural da cidade, onde Rogério ajudou a amarra-la. Em seguida o jovem levou a vítima até o canavial e deu três tiros na cabeça dela”, contou.

Planejamento

Áudios divulgados pela polícia mostram a conversa entre Rogério e um amigo de Brasília, pedindo dois menores para “resolver um negócio para ele”. Segundo o delegado, a conversa revela que ele, desde novembro, já tentava recrutar alguém para matar a ex-mulher.

“Arruma uns dois menores aí da Ceilândia para ‘mim’ resolver uns ‘problema’ aqui” (sic), diz Rogério na gravação.

Familiares encontraram carta de ex-marido para cabelereira após separação (Foto: Arquivo Pessoal)Familiares encontraram carta de ex-marido para cabelereira após separação (Foto: Arquivo Pessoal)

Familiares encontraram carta de ex-marido para cabelereira após separação (Foto: Arquivo Pessoal)

Além, do áudio, familiares de Lorraine encontraram uma carta em tom de ameaça entregue por Rogério, logo depois que os dois se separaram, para que ela “tenha muito cuidado”, porque “o mundo está cruel e perigoso”.

Os dois foram presos horas depois do corpo ser encontrado. Dioy estava na fazenda da família, onde a arma foi localizada, e Rogério saia de casa para encontrar um cliente. De acordo com Teófilo, Dioy havia comentado com a família do crime que ele tinha cometido e falou da participação de Rogério.

“O Rogério nega friamente. Disse que não fez nada e se apresenta tranquilo diante das acusações, mas nós temos todos elementos testemunhais e toda a investigação não nos deixa dúvida de que ele não só é o mandante como também atuou na execução”, afirmou.

Os dois vão responder por sequestro, feminicídio qualificado, ocultação de cadáver e porte ilegal de arma.

Durante os trabalhos de busca à cabeleireira, a filha dela, de 14 anos, chegou a dizer o quanto sentia falta da mãe. “Tudo eu fazia com ela. Sair, brincar. Ela me levava no colégio, buscava. Que ela apareça bem. Viva”, pediu. Lorraine deixa ainda outra filha de 17 anos e mais um filho de 11 anos de idade.

VEJA ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O ASSASSINO

inhumas

Posted by Entorno em Foco on Thursday, January 18, 2018

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA