Fuga de preso acaba em troca de tiros com agentes, um morto e um ferido, em Goiás

0
664

Dois homens que estavam em um carro e ajudaram o detento foram atingidos após perseguição; um foi a óbito e o outro, baleado. Inicialmente, polícia trata caso com o legítima defesa.

 Fuga de preso acaba em troca de tiros com agentes, um morto e um ferido (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Fuga de preso acaba em troca de tiros com agentes, um morto e um ferido (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Um homem morreu e um adolescente ficou ferido após ajudarem um preso do semiaberto fugir da Colônia Agroindustrial, nesta quinta-feira (23), em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital. Segundo a Polícia Civil, os três estavam em um carro, que foi perseguido por dois agentes prisionais. Houve uma troca de tiros onde os dois indivíduos, que não tiveram as idades divulgadas, foram atingidos.

De acordo com o delegado Anderson Pimentel, titular do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH), o preso conseguiu fugir da unidade e entrou no Ford Ecosport em que os dois comparsas o aguardavam, do lado de fora.

“Uma viatura da Agência Prisional percebeu e começou a persegui-los. Quando entraram em uma avenida, um caminhão que estava fazendo uma manobra impediu a passagem e obrigou os suspeitos a parar em frente a uma igreja”, disse .

Ainda conforme Pimentel, os agentes também pararam e pediram que o trio se entregasse. Nesse instante, o homem que conduzia o veículo e portava um revólver calibre 32, começou a atirar. Os servidores revidaram o atingiram com dois disparos. Ele morreu na hora.

O menor de idade também foi ferido, mas recebeu socorro e foi encaminhado ao Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa). O delegado afirmou que ele não corre risco de morrer.

Já o preso saiu ileso, assim como os agentes. Ele foi recapturado e levado novamente ao presídio.

O responsável pelas investigações afirma que os agentes permaneceram no local. “A princípio, o caso está sendo tratado como legítima defesa. Nos próximos dias, os agentes irão prestar depoimento e apresentar as armas, que é um procedimento de praxe”, explicou.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação da Superintendência Executiva de Administração Penitenciária (Seap) às 18h09 desta quinta e aguarda retorno.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA