Polícia de Lisboa mata brasileira com mais de 40 tiros e diz que foi por engano

0
52

Uma brasileira identificada como Ivanice Carvalho da Costa, de 36 anos, foi morta por engano com um tiro no pescoço pela polícia de Lisboa (Portugal), na madrugada desta quinta-feira. Foram efetuados mais de 40 disparos contra o carro em que ela estava com o namorado, também natural do Brasil. As informações são do jornal português “Correio da Manhã”.

De acordo com o jornal local, o veículo de Ivanice, um Renault Mégane preto, não obedeceu à ordem de parar da polícia, que estava à procura de um Seat Leon da mesma cor usado por bandidos — com os quais os policiais haviam trocado tiros cerca de meia hora antes, num assalto a um caixa eletrônico. Os criminosos conseguiram fugir.

A polícia portuguesa afirma que o condutor do carro, o namorado de Ivanice, “tentou atropelar os policiais e, ato contínuo, estes foram obrigados a disparar”. O automóvel ficou com mais de 20 marcas de tiros. E, no chão, foram recolhidas mais de 40 balas, o número total de disparos.

Ivanice estava há pelo menos dois anos em Portugal. Ela não tinha família naquele país e trabalhava no Aeroporto de Lisboa.

O namorado da brasileira foi detido por dirigir sem carteira de habilitação, e por desobediência e condução perigosa. Ele e os agentes que participaram da ação prestaram depoimentos.

A família

A família da brasileira Ivanice Carvalho da Costa, de 36 anos, morta em uma operação policial em Portugal afirmou que não tem dinheiro para trazer o corpo para o Brasil.

A mãe, Maria Luzia Silva Carvalho da Costa, que mora em Amaporã, no noroeste do Paraná, lamentou o caso e disse esperar que o governo português providencie o envio do corpo da filha.

Segundo informou nesta quinta-feira (16) o jornal português “Diário de Notícias”, a brasileira morreu após o carro em que seguia com o companheiro ser confundido pela polícia de Lisboa com o usado por um grupo de ladrões. O veículo foi atingido por vários disparos.

“Minha irmã me ligou e disse que tinha havido um assalto e que a polícia estava perseguindo um carro e que o carro dele [do companheiro de Ivanice] era parecido. A polícia mandou ele parar e ele não parou porque não tinha habilitação. Fugiu da polícia, que foi atrás, atirou e matou a minha filha. Foi na hora”, contou.

Ivanice Carvalho da Costa foi morta por engano em uma ação policial em Lisboa, Portugal, de acordo com o jornal português

Ivanice Carvalho da Costa foi morta por engano em uma ação policial em Lisboa, Portugal, de acordo com o jornal português (Foto: Arquivo Pessoal)

17 anos em Portugal

De acordo com a mãe, Ivanice mudou-se para Portugal com 19 anos e desde então trabalhava no mesmo emprego, em uma loja de departamentos no aeroporto de Lisboa. “Ela gostava de morar em Portugal. Eu sempre falava para ela ‘vem embora Nicinha, vem embora Nicinha’, e ela não vinha”, lembrou.

“Quem conheceu minha filha sabe que ela era uma menina que nunca me deu trabalho. Não ia para baile, não ia para festa. Ficava só em casa. Trabalhava, me ajudava. Era a filha que qualquer um queria ter e nunca perder. Era muito responsável”, disse.

De acordo com a mãe, o governo português ainda não entrou em contato com a família no Brasil. Uma tia de Ivanice, que mora em Portugal, é quem está tratando com o consulado brasileiro em Lisboa dos trâmites legais para o traslado do corpo da sobrinha.

Em nota, a Embaixada do Brasil em Lisboa, confirmou que foi comunidada nesta quinta a morte da brasileira, que está acompanhando o caso e que “lamenta profundamente o ocorrido”.

“A família da vítima já entrou em contato com o Consulado-Geral do Brasil em Lisboa, que prestará o apoio cabível. A Embaixada acompanha atentamente o caso e aguarda novas informações a respeito do inquérito com vistas a determinar o curso de ação a ser tomado”, destacou o comunicado.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA