Casal que viveu junto por 75 anos morre com poucas horas de diferença

0
30

Jean e George Spear celebraram 75 anos de casados em 22 de agosto; na última sexta-feira (15/9), morreram com uma diferença de apenas cinco horas

Uma das frases mais famosas das cerimônias de casamento é “até que a morte os separe”. Em meio a tantos divórcios, ela, por vezes, pode parecer exagerada. Em outros casos, no entanto, ela não é suficiente. Foi assim com a britânica Jean Spear e seu marido, o canadense George Spear. Eles celebraram 75 anos de casados em 22 de agosto. Na última sexta-feira (15/9), os dois morreram com uma diferença de apenas cinco horas.

Contraditoriamente, essa emocionante história de amor começou em meio à guerra. A pior delas. De acordo com o jornal canadense Ottawa Citizen, Jean e George se conheceram em um baile no subúrbio de Londres em 1941, durante a Segunda Guerra Mundial, na qual ele era combatente. À época, George tinha 21 anos e Jean, 18.
No ano seguinte, eles se casaram no distrito de Kingston Upon Thames, no sudoeste de Londres, terra natal da noiva. Contudo, a guerra, que de algum modo os uniu, também os separaria. George foi enviado para servir na Itália e no norte da África. Em 1944, ele seria mandado para o Canadá — país onde nasceu — para treinar novos soldados. Jean, então, foi encontrá-lo e o casal não saiu mais do país norte-americano. Eles tiveram dois filhos: Heather, nascida em 1947, e Ian, que veio ao mundo em 1950.
Na terça-feira (12/9), poucos dias depois de celebrar 75 anos de casada, Jean, aos 94 anos, foi internada com pneumonia. Na quarta, ela conversou por telefone com George. Um dia depois, ele também adoeceu e foi levado para o mesmo hospital em que a mulher estava. Os médicos tentaram colocá-los no mesmo andar, mas a morte — traiçoeira como sempre — se antecipou e levou Jean às 4h30 (horário local) de sexta. Às 9h45, voltou para buscar George e permitir que ambos ficassem juntos, mesmo depois que a morte os separasse, temporariamente.

Exemplo para o casal real

Em 1945, ano do fim da Segunda Guerra Mundial, Jean fundou uma associação para ajudar as “noivas de guerra”, como são chamadas as mulheres europeias que se casaram com militares canadenses. Pelos serviços prestados, ela recebeu da Rainha Elizabeth II o título de membro da Ordem do Império Britânico, em 2006.
Em 2011, o casal real príncipe William e Kate Middleton foi ao Canadá e decidiu se encontrar com Jean e George. O homem fez questão de mostrar à duquesa de Cambridge um quepe que guardava uma foto tirada no dia do primeiro encontro. Questionado por Kate sobre se a fotografia sempre esteve ali, George foi enfático: “durante toda a guerra e desde então”.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA